Logo

Tendências de SEO para 2019

Têm vindo a surgir rumores de que o fim do SEO estará para breve e que o social gera mais tráfego do que os motores de pesquisa, mas… será que se confirmam? Estivemos no Web Summit 2018, a ouvir o que diz Sarah Bird, CEO da Moz sobre tendências de SEO para 2019.

Aparentemente está criada uma tradição no Web Summit: apresentar as tendências da SEO para o ano seguinte. No ano passado tivemos a presença de Randi Fishkin, co-fundador também da Moz, empresa norte-americana especialista em Inbound Marketing.
Onde estamos a pesquisar

De acordo com um estudo da Jumpshot, citado por Sarah Bird durante a sua talk no Web Summit 2018, 89.5% das pesquisas online são feitas no Google; 62.6% no Google “tradicional” como motor de pesquisa de texto, 22.6% no Google Images e 4.3% no Youtube, que pertence também à Google.

 

Onde estamos a pesquisar

 

De acordo com um estudo da Jumpshot, citado por Sarah Bird durante a sua talk no Web Summit 2018, 89.5% das pesquisas online são feitas no Google; 62.6% no Google “tradicional” como motor de pesquisa de texto, 22.6% no Google Images e 4.3% no Youtube, que pertence também à Google.

 

Quem envia mais tráfego?

 

Também aqui o Google continua na frente dos canais que mais tráfego enviam para os websites.

 

O SEO vai “morrer” em 2019?

 

Tendo em conta que o Google continua a dominar as pesquisas online e que ainda está em crescimento, tudo aponta para um “não” que poucas ou nenhumas dúvidas deixa. E sim, devemos continuar a apostar em melhorar o SEO dos nossos sites; só assim conseguiremos fazer com que eles aparecem – idealmente – na primeira página de resultados do Google.

Continuemos com a análise que prova o (ainda) domínio do SEO.

Desktop

  • 2.8% – tráfego pago (Google Adwords SEM)
  • 62.2% – tráfego orgânico
  • 35% – sem cliques

Mobile

  • 2% – tráfego pago (Google Adwords SEM)
  • 40.9% – tráfego orgânico
  • 57.1 – sem cliques

Como podemos facilmente observar, os resultados orgânicos geram 20 vezes mais cliques do que os resultados pagos.

Mais que o SEO não estar à beira do fim, estar à frente da optimização dos motores de pesquisa nunca foi tão crucial para os negócios modernos.

 

Tendências de SEO para 2019

 

Em relação às tendências de SEO para o próximo ano, resumidamente o que importa salientar é que continua a ser necessário e encorajado trabalhar a estratégia de SEO. Para que as nossas páginas continuem (ou comecem) a aparecer na primeira página de resultados do Google, Sarah Bird recomendou:

1. Estratégia de conteúdos

Content is (still) king e devemos mesmo apostar na estratégia de conteúdos. Já escrevemos sobre este tema no blog da Byd, pelo que convidamos o leitor a conhecer as 3 razões pelas quais deve apostar numa estratégia de conteúdos.

2. “Position zero”

O lugar mais cobiçado na primeira página de resultados de uma pesquisa do Google já não é o número 1. A posição zero é, agora, o lugar mais cobiçado, o ‘holy grail’ do SEO.

Consiste num destaque na primeira página de resultados (SERP) em que o mesmo apresenta um parágrafo de texto, assim como uma imagem.

O uso da imagem faz com que o nosso olho seja imediatamente atraído para este resultado durante uma pesquisa.

Se deseja ter conteúdo num destes destaques na posição zero, considere a possibilidade de colocar sequências de perguntas e respostas na sua página de empresa no Google. Tabelas com informações estruturadas também podem vir a ser colocadas acima da listagem dos resultados orgânicos.

Mesmo que a disputa pelas posições de topo se torne mais concorrida, no que diz respeito aos destaques, os sites mais pequenos também têm uma boa hipótese de receber classificações altas se fornecerem respostas bem estruturadas que o Google possa usar.

O que é que o seu público-alvo está a pesquisar na internet?

Portanto, em 2019, deve perguntar-se cada vez mais o que é que o seu público-alvo está a pesquisar no internet. Quanto mais atender a essa necessidade com o conteúdo que produz, melhores serão as suas hipóteses de classificação na posição zero.

3. Listas

Se tem um perfil de negócio no Google, tente incluir listas no conteúdo escrito ou em artigos no seu blog. De acordo com Sarah Bird, o Google adora listas! Quem não gosta?
O canal televisivo Food Network publicou um artigo em forma de lista que foi sugerido na posição zero do Google em pesquisas por “how to arrange a cheese platter”, que é precisamente o nome do artigo.

4. Pesquisa de voz

As pesquisas de voz também se têm revelado uma tendência a ter cada vez mais em conta. A Alpine.AI estimou, em Janeiro de 2018, mais de 1 milhão de milhões (bilião?) de pesquisas de voz por mês.

 

Como melhorar o SEO em 2019?

 

Para além das dicas no ponto anterior que têm relação direta com as novas tendências, há outras que devemos continuar a pôr em prática para garantir que estamos, de facto, a optimizar os resultados de pesquisa pelo nosso negócio, conteúdo, produto, loja online, etc.

Vejamos algumas:

  1. Continuar a trabalhar o “SEO técnico” do conteúdo;
  2. Não negligenciar as imagens: como vimos, o Google Images é dos canais em que mais ocorrem pesquisas. Garanta que coloca sempre keywords nas ALT Tags das imagens que insere no seu site ou blog, por exemplo.
  3. O seu site tem que ser mobile-friendly;
  4. Garanta que tem o site seguro (com certificado SSL);
  5. Trabalhe a rapidez do seu site, especialmente na versão mobile;
  6. As Meta Descriptions importam; e muito;
  7. O mesmo é válido para as Title Tags;
  8. Se tem um negócio, certifique-se que as informações sobre o mesmo estão correctas no Google e Google Maps; hoje em dia, realizam-se cada vez mais pesquisas nesta ferramenta.

 

Ferramentas para melhor trabalhar o seu SEO em 2019

 

Existem na internet várias ferramentas – muitas delas gratuitas – que o ajudam, por exemplo, a planear keywords e a analisar o seu website. Conheça algumas abaixo:

  • Moz Keyword Explorer – uma ferramenta para descobrir as melhores keywords;
  • Nibbler – teste qualquer website;
  • Buzzsumo – Analise que conteúdo apresenta melhor desempenho para qualquer tópico ou concorrente;
  • Ubersuggest – sugestões de keywords.

 

Conclusão

 

Se só puder reter uma conclusão deste artigo que seja: o SEO não vai morrer em 2019. Se chegou até aqui, podemos oferecer-lhe uma segunda conclusão: estar a par das tendências de SEO para o próximo ano é importante, mas de pouco serve se negligenciarmos os básicos.

Para terminar, deixamos-lhe o link para o vídeo da apresentação de Sarah Bird no Web Summit 2018 na qual estivemos presentes para lhe podermos trazer este artigo:

DEIXE O SEU COMENTÁRIO