Logo

O que é o User Experience?

Neste artigo esmiuçamos o conceito de User Experience, bem como as melhores práticas de UX e como podem promover a melhoria da qualidade da interação e da perceção do utilizador.

User Experiencie (UX) concentra-se em ter uma compreensão profunda dos utilizadores, o que eles precisam, o que eles valorizam, as suas habilidades e também as suas limitações. Também leva em conta as metas e objetivos de negócios do grupo que gere o projeto. As melhores práticas de User Experience promovem a melhoria da qualidade da interação e da perceção do utilizador sobre o seu produto e serviços.

Fatores que influenciam o UX

No centro do UX está o objetivo de que os utilizadores encontrem valor naquilo que lhes está a fornecer.

User Experiencie (UX), de Peter Morville, Honeycomb, afirma que, de forma a ocorrer uma experiência de utilizador significativa e que acrescente valor, informações devem ser úteis, desejáveis, localizáveis, acessíveis e confiáveis.

Desmistificando:

Útil: o seu conteúdo deve ser original e satisfazer uma necessidade.

Utilizável: o site deve ser fácil de usar.

Desejável: Imagem, identidade, marca e outros elementos de design são usados ​​para evocar emoção e apreciação.

Encontrável: o conteúdo precisa de ser navegável e localizável no local e externo

Acessível: o conteúdo precisa de ser acessível a pessoas com deficiências

Credível: os utilizadores devem confiar e acreditar no que diz e comunica

O UX é um campo em crescimento que ainda está a ser definido. A criação bem-sucedido de um design centrado no utilizador engloba os princípios da interação entre humano-computador (IHC) e vai além desta, incluindo as seguintes disciplinas:

  • O Project Management concentra-se no planeamento e na organização de um projeto e dos seus recursos. Isso inclui identificar e gerir o ciclo de vida a ser utilizado, aplicá-lo ao processo de design centrado no utilizador, juntar a equipa do projeto e orientar a equipa de maneira eficiente em todas as fases até à conclusão do projeto.
  • O User Research foca-se na compreensão dos comportamentos, necessidades e motivações do utilizador por meio de técnicas de observação, análise de tarefas e outras metodologias de feedback.
  • A Avaliação de Usabilidade concentra-se no quão bem os utilizadores podem aprender e usar um produto para atingir os seus objetivos. Também se refere à satisfação dos utilizadores.
  • A Arquitetura da Informação (IA) diz respeito à organização e estruturação da informação que é apresentada aos utilizadores.
  • O design da interface do utilizador pretende antecipar aquilo que os utilizadores podem precisar e garantir que a interface tenha elementos que sejam fáceis de aceder, entender e usar para facilitar essas ações.
  • O Interaction Design (IxD) concentra-se na criação de sistemas interativos envolventes com comportamentos bem pensados.
  • O design visual tem como missão garantir uma interface esteticamente agradável que esteja alinhada com os objetivos da marca.
  • A estratégia de conteúdo diz respeito à escrita de conteúdo útil.
  • A acessibilidade é pensada para que indivíduos com deficiência acedam e beneficiem de um site, sistema ou aplicação. A seção 508 é a principal responsável pela acessibilidade.

 

O Web Analytics concentra-se na recolha, geração de relatórios e análise de dados de sites.

 

Na BYD temos sempre estes pontos em consideração antes de arrancarmos com um projeto. O nosso objetivo em qualquer trabalho que abraçamos é criar projetos de relevância e dar aos nossos clientes a melhor experiência de utilização, deixando simultaneamente a vontade de querer voltar connosco.

Este fator (UX) tem cada vez mais relevância na maneira como pesquisamos e usamos a internet. Ao criarmos uma experiência única, não só o cliente vai querer voltar como irá transmitir essa experiência a outros utilizadores.

DEIXE O SEU COMENTÁRIO