Logo
João Lemos
João Lemos

Equipa BYD

João Lemos

Project Manager

João Lemos. 30 anos. Project Manager. Quando era miúdo sonhava ser cirurgião plástico. Hoje em dia sonha com cirurgia plástica. E com um Aston Martin.

A vida do João deu algumas voltas. Licenciou-se em Gestão Hoteleira e tirou uma pós-Graduação em Direcção Comercial. O próximo passo que quer dar na sua formação é tirar nova pós graduação, em publicidade online. Isto porque diz ele que muitos se interessa pelas campanhas de publicidade que faz para os clientes, mas no escritório todos sabemos que é por adorar os anúncios de “mulheres solteiras querem entrar em contacto consigo.” Tivemos uma reunião e o João tem agora acesso limitado à internet.

Para melhor compreender o João – diz a Marta, nossa psicóloga e sua arqui-inimiga – é importante recuar alguns anos para o seu passado. Em miúdo tinha medo de ser adoptado. Talvez seja essa a razão pela qual avisa sempre toda a gente antes de ir à casa de banho. Ou não, nós só queríamos uma explicação. Tinha poucas namoradas e hoje em dia diz ter muitas, mas que não se estiquem que para o ano se vai casar com a Kika, que não trocava nem pela (sua) Penelope Cruz. “Pudera, passei de gordinho para um pito de morte.”

É viciado em House of Cards, cigarros, no Cartola (a pastelaria ao pé do escritório) ou em practicamente qualquer restaurante, em amigos e, claro, na Kika. Jogava rugby com o Bernardo (seu capitão no Cascais e na BYD) e era vítima de bullying do Martim (seu vilão no Cascais e na BYD). Hoje em dia já esqueceu o passado, levantou-se das cinzas e tornou-se numa máquina do Padel, tendo conquistado recentemente um honroso 3º lugar no conceituado campeonato nacional de Padel sub-12. Superou as expectativas e silenciou os seus críticos. Estamos orgulhosos.

Brincadeiras à parte, o João é um óptimo profissional que muito traz à empresa. Brincadeiras de volta, se fosse um animal diz que gostava de ser um leão, se bem que nós achamos que seria mais um querido urso pardo. Aliás, a sua alegria, boa disposição e disponibilidade para ajudar, num eventual remake, facilmente o fariam conseguir o papel de Winnie the Pooh.

Caso se tratasse de um remake de baixo orçamento. Ou sem.