Logo

Blogs em 2019: ainda são relevantes?

Depois de perceber que sim, precisa mesmo de um website, está na hora de decidir: criar ou não criar um blog? Será que os blogs ainda são relevantes em 2019? Vamos descobrir neste artigo.

Para compreendermos em que pé estamos relativamente aos blogs, à sua situação atual e ao seu futuro, temos primeiro que traçar a sua história.

Uma breve cronologia dos blogs

  • 1994 – foi criado o primeiro blog, Links.net, criado por Justin Hall. Nesta altura não existia ainda a palavra “blog” e Justin referia-se à sua criação como a sua “personal homepage”;
  • 1997 – é criado o termo “weblog”
  • 1998 – ano em que surgiu o primeiro blog integrado num site de notícias;
  • 1999 – o termo “weblog” foi encurtado para “blog” pelo programador Peter Merholz.
  • 1999 – existiam 23 blogs na internet, de acordo com uma lista compilada por Jesse James Garrett;
  • 2001 – começam a aparecer os primeiros tutoriais sobre blogs;
  • 2004 – o dicionário Merriam-Webster declarou “blog” a palavra do ano.
  • 2006 – os anos 2000 foram um período de grande crescimento para os blogs. Em 2006 já existiam cerca de 50 milhões de blogs online.
  • 2007 – início da tendência microblogging com a popularização do Twitter e o aparecimento do Tumblr.
  • 2010 – atualmente – com cerca de 152 milhões de blogs ativos no final de 2010, desde então tornou-se prática comum praticamente todos os sites institucionais terem também um.

Ao longo dos anos, os blogs tiveram vários nomes, várias plataformas (Blogger, Livejournal, WordPress, etc.) e passou também por várias modas, tanto a nível de conteúdo como de design.

 

Microblogging e redes sociais: mudam-se os tempos, mudam-se as vontades

Com a chegada do Twitter, do Tumblr, com a criação de outras redes sociais e do crescente foco nas mesmas, a atenção que damos aos blogs está a mudar. Cada vez temos menos tempo para leituras extensas e o facto de existirem milhões de blogs com conteúdos deste género apresenta-se quase como uma ameaça ao pouco tempo de que dispomos.

Paralelamente, o Instagram continua a dar cartas no que diz respeito à nossa necessidade constante de alimentar o nosso FOMO (Fear of Missing Out) e de obter inspiração visual, mais imediata e fácil de consumir. Muitos utilizadores, antigamente consumidores de blogs, estão cada vez mais a contentar-se com o microblogging que as legendas de instagram permitem, complementando com a oferta de conteúdos visuais.

Mas então… ainda vale a pena alimentar blogs?

Esta é a questão que se coloca e à qual nos propusemos responder. Porém, apesar de ser uma pergunta de resposta direta, não deixa de ser difícil chegar a uma conclusão rápida. Se quiser ficar por aqui na sua leitura deste artigo, a resposta rápida é sim, vale a pena. Pela cronologia que fizemos no início deste artigo, podemos ver as inúmeras fases pelas quais os blogs já passaram e que, apesar de tudo, continuam por cá.

Se quiser aprofundar mais um bocadinho, a resposta é “depende”. Depende se está a pensar num blog enquanto empresa, enquanto ferramenta de desenvolvimento pessoal (como um hobby) ou como ferramenta para cimentar a sua marca pessoal.

  • Enquanto empresa, pode simplesmente ficar-se pelo site, embora esteja a perder uma oportunidade de ouro em termos de SEO caso rejeite a possibilidade de ter também um blog.
  • Enquanto indivíduo: não vale tanto a pena (hoje em dia) alimentar e manter um blog como em anos anteriores caso a sua motivação seja lucrar através dele. Por outro lado, se o faz por gosto, valerá sempre a pena. Vamos explorar exatamente o porquê.

 

Vantagens em (ainda) ter um blog em 2019

  • Ter um blog é uma excelente forma de trabalhar várias keywords de SEO relevantes ao seu negócio e/ou marca pessoal. Já agora, conheça aqui três razões para apostar numa estratégia de conteúdos para a sua empresa;
  • É uma oportunidade de criar ligações com o seu público ou cliente, podendo usar uma linguagem mais próxima e pessoal. Trabalhe a parte emotiva e pessoal da sua marca ou negócio.
  • É uma forma de oferecer algo em troca a quem compra os seus produtos ou serviços. Hoje em dia, as pessoas procuram informação útil e relevante, não apenas números e estratégias comerciais.
  • Um blog, ao contrário do que acontece com as redes sociais, é uma plataforma só nossa, que não corre riscos de desaparecer caso não cumpra as normas de outra plataforma.

 

Conclusão

Mais uma vez, sublinhamos: ter um blog ainda vale a pena e não é provável que os blogs desapareçam no futuro. A nossa relação com eles não está no fim, está simplesmente a mudar. Hoje em dia, consumimos conteúdo cada vez mais visual e textualmente mais curto, pelo que em vez de abandonarmos esta prática, teremos apenas que nos adaptar aos tempos que correm.

No que diz respeito à atualização da forma como escrevemos nos nossos blogs agora e daqui para a frente, devemos ter em conta a formatação do texto (para assegurar uma melhor legibilidade), textos de maior qualidade, mas mais curtos (não ter em conta este mesmo artigo como exemplo neste ponto!), conteúdos verdadeiramente relevantes e, se possível, originais. Por fim, devemos ter uma preocupação acrescida na adaptação dos nossos sites e blogs a mobile, uma vez que é nestes dispositivos que a maioria dos utilizadores acede aos mesmos.

 

Se precisa de ajuda na criação ou melhoria de um site e/ou blog, pode sempre falar com a BYD e pedir um orçamento! 😊

DEIXE O SEU COMENTÁRIO